Móvel que acompanha a TV, o rack é um elemento importante em salas de estar e home theaters. Com a opção de peças prontas, marcenaria sob medida ou planejada, antes de eleger o modelo do rack será preciso definir o tamanho da TV, o que ficará armazenado e o estilo da decoração. A arquiteta Karina Korn, à frente do escritório que leva seu nome, dá o passo a passo para acertar na escolha desse móvel tão funcional e prático.

Medidas

Neste home theater, a arquiteta usou os mesmos revestimentos da sala de jantar para dar unidade ao espaço. | Foto: Eduardo Pozella

O primeiro passo é decidir o tamanho da TV – deixando espaço para uma futura troca por um aparelho maior – e só depois disso será definido o tamanho do móvel, já sabendo em qual parede ele e a televisão ficarão posicionados. “Para salas pequenas, a melhor opção é verificar qual layout permite a maior distância entre o sofá e a tela”, orienta a arquiteta. “Porém, a variedade de aparelhos oferecida hoje, com medidas enormes, e o desejo dos moradores de ter um cinema em casa acabam por não permitir seguir essa regra sempre. Ainda assim, é importante fazer o cálculo da distância ideal até o sofá para cada tamanho de TV”, acrescenta Karina. Escolhido o lugar destinado ao rack, a largura do móvel também deve ser proporcional à parede, podendo inclusive ocupar toda sua extensão.

Quanto à altura do rack, vale usar o bom senso. Quando a TV vai ser instalada na parede ou em um painel, os racks baixos são a melhor pedida. “De modo geral, coloco a tela na parede a 1,25 m de distância do chão. Para a televisão no quarto, colocada em frente à cama, a altura varia entre 1,25 e 1,40 m, de acordo com a estatura dos moradores”, conta a arquiteta. Contudo, se o aparelho vai ficar apoiado, os racks mais altos são os mais recomendados.

Armários, nichos e prateleiras

Com portas de correr e gavetas sob medida, o rack guarda a coleção de filmes dos moradores. | Foto: Elisa Soveral

Outro ponto importante para selecionar o modelo do rack é pensar no que vai ser armazenado. “Os móveis planejados ou sob medida permitem personalizar as áreas de armário, nichos e gavetas. Há opções para organizar coleções de filmes, livros, e também para acomodar os aparelhos eletrônicos ocultando os fios”, diz Karina. Quem precisa de espaço de armazenamento extra pode incluir armários acima ou nas laterais da TV. Nichos e prateleiras também são bons complementos, principalmente para racks comprados prontos.

Estilo

No living, o rack tem portas brancas e base de mármore, também utilizado na lareira. | Foto: Eduardo Pozella

Como é o móvel que recebe a TV e os equipamentos eletrônicos, para quem gosta de um estilo mais clássico, é recomendável que o rack tenha um design clean e cores sóbrias. Já aqueles que buscam uma decoração ousada podem apostar em tons e texturas não só no móvel, mas também na parede de fundo ou no painel. “Para salas de estar ou de TV integradas com outros ambientes da casa, o estilo do rack pode seguir o mesmo usado no restante do projeto”, aconselha Karina.

Karina Korn Arquitetura

Tel. (11) 98848-6858 / (11) 98849-9669
karinakorn@karinakorn.com.br
www.karinakorn.com.br

Fonte: Da Redação/Assessoria/Karina Korn Arquitetura