As pedras naturais, como o mármore e o granito, são revestimentos capazes de unir praticidade, resistência e durabilidade a uma estética ímpar. Não por acaso, esses materiais são usados em pisos, paredes, bancadas e até móveis em diversos ambientes da casa. “A pedra natural é um elemento nobre, eterno e único, além de higiênico. Quando um bloco é fatiado, seus veios ou desenhos não serão repetidos em outro, o que significa que este acabamento nunca será igual em outra residência”, explica a arquiteta Ieda Korman, do escritório Korman Arquitetos.

Living com piso de mármore Sivec / Projeto: Korman Arquitetos | Fotos: Gui Morelli

Apesar de suas vantagens, muitas pessoas ficam em dúvida se vale a pena investir nas pedras para a decoração. Para ajudar na escolha, Ieda compartilha orientações e explica as principais diferenças entre as pedras e outros tipos de acabamentos. Confira:

Defina as necessidades do espaço

Na área social deste apartamento, o mármore Sivec reveste o piso, pois a moradora queria um acabamento nobre, fácil de limpar e neutro na decoração. Já o mármore Calacata Gold, com seus veios dourados, aparece para formar a parede e as prateleiras da estante, mostrando a versatilidade do material.

Pensar detalhadamente em como cada espaço da casa será usado é o primeiro passo para a seleção dos materiais. “Em acabamentos não há ganhos ou perdas, mas sim a necessidade de cada ambiente. Por exemplo, colocar mármore em uma parede de área de serviço será um desperdício. Já em uma sala de estar ou em um hall, a pedra será mais adequada, uma vez que seus veios e sua beleza proporcionam nobreza ao ambiente”, orienta a arquiteta. Por remeter a um décor mais sofisticado, também é importante pensar se o material combina com o conjunto.

Pedra x cerâmica – vantagens e desvantagens

O mármore Sivec usado no piso da área social se estende até o banheiro e o lavabo. No primeiro, o material reveste também as paredes e a banheira. Já no lavabo, o mármore Calacata compõe a parede com a bacia suspensa e a pia esculpida.

A principal diferença entre a pedra e os revestimentos cerâmicos é simples: enquanto a primeira tem uma aparência única, a outra tem um padrão repetido industrialmente. Outra distinção se refere à paginação dos revestimentos. “A pedra pode ser paginada, isto é, pode ser cortada em tamanhos que se enquadrem corretamente no ambiente, como também a distribuição dos veios ser em sequência. Já a cerâmica não oferece essa possibilidade”, aponta Ieda. Entre as vantagens da cerâmica estão o custo mais baixo e a colocação mais rápida. O preço da pedra é mais alto e varia de acordo com a qualidade e a raridade do material, mas a manutenção é praticamente zero.

Pedra x efeito pedra no papel de parede

O escritório usou o granito Café Imperial na bancada da cozinha, uma vez que a pedra tem duas características fundamentais para essa superfície: pode ser usada em áreas molhadas e é resistente ao calor.

Por ser um elemento com função decorativa, o papel de parede com características de pedra também pode ser colocado em ambientes nobres da casa, como hall de entrada, salas e quartos. Mas esse material sempre deve ser colocado em paredes que tenham massa corrida com pelo menos uma demão de tinta, além de seu uso ser aconselhado apenas em áreas internas que não tenham umidade. Já as pedras são instaladas em superfícies cimentadas com argamassa e podem compor projetos de áreas molhadas, como banheiros e cozinhas.

Korman Arquitetos

Rua Groelândia, 1877, Jardim América, São Paulo
Tel.: (11) 3060-8313
www.kormanarquitetos.com.br

Fonte: Da Redação/Assessoria