O artista plástico Renato Larini abre no dia 14 de agosto sua exposição individual “Sinfonia Concreta”, no seu ateliê, o Espaço Zebra, em São Paulo. A série conta com quinze “composições”.

As obras feitas em madeira com intervenções em ferro, resina e fotografia são híbridos entre escultura, mobiliário e assemblages. A inspiração estética são as vanguardas da década de 20 e 50, incluindo música, arquitetura e arte.

“Faço aqui minha sinfonia: uma composição concreta. Abro os olhos e vejo os móveis- objeto. Vejo Braque escalando as madeiras, Miró em queda do terceiro andar da estante, Man Ray repousando em um canto, sambistas descendo o morro com pandeiro e tamborim. O cenário são vielas orgânicas e as colagens cubistas das paredes e dos barracos dos morros e favelas”, descreve Larini.

Cada peça é denominada pelo artista como partes ou composições de um concerto, como o Minueto Cubista, o Piano Temperado e a Melodia do Acaso. O artista usou centenas de pedaços de madeira diferentes e construiu as peças como um improviso dentro de um campo harmônico. Nesse caso, a harmonia é o próprio conceito da série. “Estes objetos não nascem de uma inspiração e esboço prévio. Em vez de serem projetados milimetricamente, parto apenas do conceito, vou criando formas e eles vão se construindo como um diálogo. É quase um improviso construtivista”, conta o artista.

O resultado são 15 móveis que remetem a uma estética que une a obra de arte ao mobiliário utilitário e funcional e que podem ser usadas de ambas as maneiras. Mas sua função principal, segundo o artista, é a de um objeto estético.

Série “Sinfonia Concreta” de Renato Larini

Abertura para o público: Até 10 de dezembro
Visitas: sextas e sábados, das 19h às 0h ou agendar horário

Contato: Néli Pereira – nelialvespereira@gmail.com
11 99281 2483

Fonte: Da Redação/Assessoria