O segmento de aquecimento solar no Brasil comemora desempenho de destaque no cenário mundial. Entre 2010 e 2015, o setor teve um crescimento de 8% no país, ocupando a 3ª posição no ranking mundial, ficando apenas atrás de China e Turquia. Em 2015, o país ocupou a segunda posição em volume físico de produção. Os dados são da agência alemã Sol Rico, que apurou os dados de 18 países.

Aquecedor-solarSegundo a última pesquisa do DASOL – Departamento Nacional de Energia Solar Térmica, da ABRAVA, em 2015, foram produzidos 7.968 GWh de energia, com 12,4 milhões de metros quadrados acumulados de área instalada. São cerca de 6 milhões de residências que já dispõem do equipamento. Para se ter uma ideia, a capacidade de produção de energia dos sistemas solares instalados hoje no Brasil seria capaz de atender ao consumo de toda a classe comercial brasileira, durante um mês.

aquecedorsolar2“Mesmo com a descontinuidade do programa Minha Casa Minha Vida e a crise que ocasionaram um decréscimo de 2,7% na produção em 2015, nosso setor ainda se mantém como destaque internacional”, afirma o presidente do DASOL Amaurício Gomes Lúcio. “O país está passando por uma fase difícil, mas nosso papel como entidade é elaborar estratégias para fortalecer o setor e ajudá-lo a crescer. O desfecho de uma solução política para o País, seja ela qual for, permitirá uma melhor noção da economia e uma consequente retomada nas obras, tanto para manutenção quanto daquelas que ficaram paradas. Estamos otimistas”, acrescenta.

Economia silenciosa

Para Marcelo Mesquita, secretário executivo do DASOL, os 12 milhões de m² instalados já promovem  uma economia silenciosa que os sistemas de aquecimento de água instalados em vários segmentos representam. “Por exemplo, a maior parte do consumo de energia de uma casa vai para aquecer a água do banho e, portanto, o chuveiro deve ser o primeiro item em uma ação de medida de economia de energia. Pode-se ter uma economia de até 40% na conta com a instalação de um sistema desse tipo, com retorno do investimento em cerca de 2 anos, que é relativamente barato quando comparado com outras formas de energia limpa. Quando o consumidor tem acesso a esta informação, a procura aumenta”, diz.

aquecedor-solar1A energia solar térmica tem sido inclusive apontada pelos projetistas como uma grande alternativa para melhorar o payback (retorno sobre o investimento) de projetos com o sistema fotovoltaico, ainda considerado caro para a maioria dos brasileiros. Como a energia solar térmica é muito mais barata que a fotovoltaica,  um projeto que contemple as duas tecnologias  torna-se uma combinação mais atrativa”, esclarece Mesquita.

Pensando nisso, a entidade está desenvolvendo um estudo com foco em eficiência energética, que será publicado ainda no primeiro semestre do ano, com o intuito de apontar a melhor solução para a energia solar no País. O presidente da ABESCO – Associação Brasileira das Empresas de Serviço de Conservação de Energia, Alexandre Moana, defende que antes de se instalar um sistema fotovoltaico, deve-se optar primeiramente pelo solar térmico. Grande parte da energia, cerca de 40%, já é compensada. Em seguida, deve-se pensar no fotovoltaico, para atender ao restante da demanda da casa. “Estamos juntos com o DASOL da ABRAVA para a construção deste modelo ideal, que une o solar térmico e o fotovoltaico para uma solução precisa”, acrescenta.

Dados de mercado

O gráfico a seguir apresenta a evolução do mercado de aquecimento solar brasileiro nos últimos anos:

 

graficoaquecedores123A pesquisa do DASOL abordou a produção de coletores solares classificados por tipos: aberto, fechado e a vácuo. Os coletores abertos são normalmente utilizados para piscinas, pois não possuem cobertura transparente e nem isolamento térmico. Os coletores fechados planos e de tubo a vácuo são utilizados para fins sanitários.  Os abertos representam hoje 43,5% dos instalados; os fechados 54,7% e os a vácuo 1,8%.  Em 2015, houve decréscimo dos coletores abertos de 5,3% e nos coletores fechados foi 1,8 %.  Os coletores de tubos de vácuo, apresentaram crescimento expressivo de 57,9%.

Vendas por segmento e regiões

Em 2015, o segmento residencial teve destaque no mercado de aquecedores, com 54% do total, seguido pelos programas habitacionais de interesse social e comércio e serviço ambos com 20%, e pela indústria, que registra 6% de participação. Entre as regiões brasileiras, o Sudeste aparece em primeiro lugar com a maior demanda por aquecedores solares com 61,08% das vendas, seguida pelo Sul (15,75%), Centro-oeste (13,57%), Norte (5,93%) e Nordeste (3,68%).

 

graficoaquecedores2A maioria das empresas do setor está otimista quanto a 2016. Considerando o planejamento das vendas de coletores solares (fechado, aberto e a vácuo) para o ano, a expectativa para grande parte dos fabricantes é crescer entre 16% e 20%.

Em maio foi comemorado o Dia Internacional do Sol (no dia 3), iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, em parceria com a NASA, para valorizar esta importante estrela, responsável pela existência e manutenção da vida na Terra.

As plantas utilizam o Sol para seu ciclo de fotossíntese, transformando energia luminosa em química; ele também é fundamental para o ciclo da água, uma vez que oferece calor para que ela evapore e os seres vivos transpirem. Para os seres humanos, é essencial para produzirmos a vitamina D, por meio da exposição aos seus raios, fortalecendo os ossos e aumentando a imunidade.

soldiaDo ponto de vista energético e econômico, o Sol  vem a cada dia, ampliando sua importância ,  utilizado como fonte de energia alternativa limpa, abundante e renovável, há mais de um século aplicada diretamente no uso dos sistemas de aquecimento de água. Com o avanço tecnológico, novas oportunidades de aproveitamento solar estão surgindo, como é o caso da fotovoltaica e das usinas heliotérmicas de geração concentrada de energia.

O Dia Internacional do Sol é, portanto, uma data comemorativa muito importante para o DASOL, fundamental para disseminar a toda a sociedade os benefícios que as tecnologias, associadas ao Sol, oferecem para o conforto e economia dos brasileiros, bem como para a sustentabilidade no planeta.

Sobre o DASOL

O DASOL – Departamento Nacional de Energia Solar Térmica da ABRAVA representa oficialmente, em todo o Brasil, o setor de aquecimento solar de água com o objetivo de promover, divulgar e desenvolver a adoção da energia solar térmica. Desde 1992, apoia a formação de uma rede de atuação formada por empresas (fabricantes, revendas, instaladoras, consultorias e projetistas), instituições, universidades, órgãos do governo, ONGs e cidadãos em busca do desenvolvimento sustentável do Brasil através da aplicação e utilização responsável de energia solar térmica. Os programas e atividades da entidade têm abrangência em todo o Brasil, alguns deles desenvolvidos junto à Eletrobras/Procel e ao Inmetro, e estão acessíveis a todos que de alguma forma utilizam a energia solar térmica de forma eficiente e como solução para geração de energia.

Fonte: Assessoria Dasol