O morar e viver estão totalmente relacionados com o estilo de vida que escolhemos para o nosso cotidiano. Assim como a forma que enxergamos o que é felicidade. Todos desejam ser felizes, claro. Mas o sentimento parece distante em uma sociedade tão impactada por desejos de uma felicidade que parece quase inalcançável. Fato que pode estar diretamente atrelado a falta de reconhecimento e valorização de momentos especiais.

Os nórdicos já descobriram que a felicidade está na simplicidade dos pequenos momentos. As conexões sensoriais geradas pelo sentir, experimentar e vivenciar proporcionam lembranças de momentos felizes e são o pilar do conceito de felicidade dos nórdicos, o hygge. Inspirada nesse conceito, a GT Building planejou o primeiro empreendimento hug house do Brasil: o Denmark. Localizado no Cabral, o Denmark transporta o hygge para o cotidiano de morar e viver e tem como propósito o desejo mais íntimo do ser humano: a felicidade.

Quem persegue um estilo de vida baseado no bem-estar e felicidade acredita em uma nova riqueza e na transformação do modo de viver e enxergar o mundo. “O valor emocional e pessoal do que é felicidade para cada um é impossível de ser mensurado e será um dos melhores investimentos na vida. Momentos de felicidade são os bens mais preciosos do mundo contemporâneo”, cita a gerente de marketing da GT Building, Fernanda Krause Lemes.

As pessoas valorizam e se conectam pelas memórias afetivas dos cinco sentidos. O hygge pode ser uma conversa sincera, um livro, a casa cheia com os amigos ou o aroma de domingo em família. “Quem se dedica para praticar o hygge, aproveita ao máximo os pequenos momentos, transformando a jornada do cotidiano em algo incrível”, completa.

Viver refletido na arquitetura

Com uma proposta de valorização do ser humano e a construção de felicidade, o Denmark buscou no arquiteto escritório de arquitetura Axaa5 a criatividade e inovação necessárias para a tradução desse conceito em arquitetura. A fachada, por exemplo, é inspirada em porta-retratos que eternizam as boas lembranças vivenciadas pelas famílias

O ambiente e a distribuição do espaço útil de uma moradia impactam diretamente na maneira como vivenciamos cada momento no lugar que escolhemos para viver. Especialmente com o cotidiano da vida moderna. Esse foi o desafio que os arquitetos e urbanistas Cleverson Tramujas e Leonardo Hauer resolveram ao pensarem em plantas capazes de construir momentos de felicidade. Um exemplo é a valorização da cozinha. O ambiente é o coração da casa, capaz de inspirar lembranças positivas e, por isso, materializa o conceito dentro de casa.

“O conceito de casa que abraça nos inspirou a trabalharmos com plantas abertas e bem integrados. Planejamos os espaços para que as pessoas tenham um bom convívio com os familiares e amigos, compartilhando o mesmo espaço e interagindo em momentos de felicidade. A fachada traz a inspiração em um imenso porta-retratos que prometem retratar as lembranças de bons momentos que já tiveram e que ainda terão morando ali”, cita Cleverson Tramujas, da axaa5 Laboratório de Arquitetura.

Para o arquiteto com reconhecimento internacional e responsável pelo projeto de interiores das áreas comuns, João Armentano, o projeto pode ser traduzido como algo único. “A tendência mundial é a valorização do ser humano. O indivíduo é o ponto focal, não apenas onde ele vive e sim como ele vive. A missão vai muito além do luxo, é trazer para o projeto elementos e espaços que retomam a verdadeira sensação de felicidade. O encontro em família e também com as pessoas a todo momento, no seu mundo especial, que é a sua casa”, explica o arquiteto.

Cuidar da energia e do bem-estar é ser feliz

A filosofia nórdica reforça a importância de vivermos, experimentarmos e sentirmos. Nutrirmos a mente com momentos positivos no nosso dia a dia com pessoas que compartilham essas sensações em um mesmo ambiente é parte do conceito. A parceria da arquiteta Elaine Zanon com a designer Claudia Machado busca a inspiração nos pilares do hygge e no estilo de vida dos nórdicos para o projeto de interiores do Denmark.

“O conceito hug house é bem interessante para quem mora em Curitiba, especialmente pelo clima da cidade. É bacana quando você mora em um apartamento que dá esse acolhimento e essa felicidade estando dentro dele. Todos os elementos foram pensados para as pessoas se sentirem bem e felizes. Seja em um momento intimista ou com os amigos”, comenta a arquiteta.

Contato com a natureza estimula lembranças

Criar espaços e proporcionar momentos de contato com o verde influenciam no bem-estar dos moradores. A proximidade com a natureza estimula os sentidos e geram sensações capazes de marcar para sempre. É com a missão de acolher as pessoas e incentivar lembranças positivas que o renomado escritório de Paisagismo Burle Marx, fundado por Roberto Burle Marx em 1955, planejou o projeto paisagístico do Denmark.

“Entendemos o projeto paisagístico e a composição com outros elementos do Denmark como uma coisa única. O paisagismo entra para completar a arquitetura e o conceito de hug house. Um lugar para viver bem e novas emoções e pensado para que as pessoas se sintam confortáveis felizes, alegres, positivas e abertas para novas emoções. Os jardins e as áreas externas foram planejados com esse cuidado e conceito”, menciona o arquiteto Julio Ono, do escritório de Paisagismo Burle Marx.

Luz transmite sensações

A luminosidade de um ambiente é capaz de transmitir uma diversidade de sensações. Pensar em algo que contribua para a valorização dos momentos e das relações humanas guiou a light designer Regina Bruni. A concepção do projeto luminotécnico do Denmark valoriza a luz que abraça, envolve e cria atmosferas de prazer e encantamento que valorizam os detalhes e provocam bem-estar.

“O Denmark vai proporcionar um bem-estar ao seu morador. A luz é a emoção de todo o projeto. É ela quem vai abraçar o conceito e dar a sensação de conforto, aconchego e envolvimento nos espaços de convivência. Fará cada morador ser único e trará essa sensação de sentir-se abraçado e envolvido com as emoções geradas no seu lar”, explica.

Espaços para a felicidade

As áreas comuns contemplam boulevard, brinquedoteca, pet place, piscina e playground planejados para a criação de momentos especiais compartilhados com amigos e família. Os moradores terão unidades entre 226 a 368 m² privativos para aproveitarem ao máximo o aconchego do lugar que escolheram para viver um novo estilo de vida.

Fonte: Da Redação/Assessoria