Dos mais variados estilos e formatos, a mesa de centro é
peça coringa para tornar uma sala de estar mais funcional e charmosa.  Além de servir de apoio para copos e itens
eletrônicos, o móvel também cumpre sua função decorativa graças às diversas
possibilidades de arranjos e adornos capazes de deixar o espaço ainda mais
interessante e cheio de personalidade.

Projeto Ana Yoshida – foto: Evelyn Müller

Segundo a arquiteta Ana Yoshida, do escritório Ana Yoshida
Arquitetura e Interiores, tudo depende do tamanho da mesa de centro para montar
uma composição equilibrada. “Se for uma peça grande, conseguimos fazer uma
montagem bacana com mais objetos. Mas, se for pequena, itens pontuais são
suficientes”, conta a arquiteta.

Definido isso, Ana Yoshida revela que a composição vai muito
do estilo do apartamento, já que ela deve compor com todo o ambiente. No
entanto, alguns truques e inspirações de projetos da arquiteta podem te ajudar
nesse assunto.

Cores

Projeto Ana Yoshida – foto: Evelyn Müller

Ana Yoshida releva que uma saída mais fácil para quem deseja fazer uma decoração harmônica da mesa de centro com o restante do ambiente é apostar em uma cor de destaque, em nuances que contrastem entre si.

Neste apartamento, a base do ambiente permeia pelos tons
neutros de madeira e cinza, mas ganhou singelos toques de azul no tapete e nos
objetos sobre a dupla de mesa de centro. “Aproveitei que o tapete quebrou
os tons neutros e apostei em um tom mais forte para decorar a mesa”, conta
Ana.

A profissional também sugere investir em alguns duos de
sucesso: “Vale usar objetos com cores clássicas, como branco e preto, ou
até mesmo misturas ousadas, caso do vermelho e rosa. Esses conjuntos estão
super em alta”.

2 – Livros e plantas

A combinação queridinha para mesas de centro, com certeza, é
a mescla de livros e plantas, já que a dupla oferece estilo e leveza ao
ambiente. Segundo Ana, em relação às plantas, o segredo é optar por vasos mais
discretos, para que o destaque seja o arranjo. “É legal escolher um
suporte neutro com um tamanho adequado para realçar as flores e a própria mesa
de centro”, conta.

Projeto Ana Yoshida – foto: Sidney Doll

Com relação aos livros, convém ressaltar que as cores e os
tamanhos são bem importantes para a composição, mas Ana deixa claro que também
é essencial investir em assuntos que fazem parte dos gostos e estilo do
morador. “Eleja livros bonitos, mas sobre assuntos que lhe agradem para
que você se sinta parte do espaço. Além disso, as visitas podem ficar curiosas
e perguntar sobre os títulos”, explica Ana.

Projeto Ana Yoshida – foto: Sidney Doll

Em relação à quantidade de livros, a arquiteta afirma que
não há uma regra certa, pois é preciso pensar no conjunto de uma maneira
harmônica: “Às vezes, um só livro chamativo já fica ótimo, outras vezes
temos que usar dois ou três. A única regra é empilhar do maior para o
menor”, explica.

Peças especiais

Os objetos de maior apego e as peças de memórias afetivas
também caem bem no arranjo da mesa de centro. “São objetos que nos
oferecem um aconchego no coração. Por que não destacarmos no ambiente social da
casa?”, sugere Ana.

Projeto Ana Yoshida – foto: Sidney Doll

Com isso, vale investir em peças de famílias, itens de viagens e objetos que carregam história. Neste projeto, Ana trabalhou uma decoração da mesa de centro com evidência na coleção de porcelana chinesa da moradora, que é a estrela do espaço. “São itens nobres, de alta qualidade, que oferecem requinte, além de deixarem qualquer mesa de centro única e especial”, finaliza Ana.

Ana Yoshida Arquitetura e Interiores

www.anayoshida.com.br

Fonte: Da Redação/Assessoria