O Brasil ocupa o 4º lugar no ranking de países com mais
edificações em Leadership in Environmental Energy Design (LEED), certificação
criada pelo United States Green Building Council, concedida a construções sustentáveis
no mundo. Neste ranking, o país fica atrás somente dos Estados Unidos, China e
Emirados Árabes.

Segundo o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento da
Arquitetura (IBDA), a construção sustentável tem como característica principal,
priorizar o aproveitamento do meio natural sem causar prejuízo no que se refere
a sustentabilidade.

Casa inteira arquitetada com soluções sustentáveis como armazenamento de água da chuva, ambientes voltados para a luz do sol e otimização de ventilação natural/Divulgação

A utilização racional de água e eficiência de energia, são práticas comuns em uma construção sustentável. “Em paralelo a isso, uma obra sustentável deve possuir desenvolvimento tecnológico, inovação, preservação ambiental da área, sem esquecer da parte estética, pois além de sustentável, o futuro imóvel deve trazer modernidade e beleza aos olhos do consumidor final.”, explica Lorena Damo Comel, arquiteta do L+W Arquitetos.

Welton Zaziski Gomes também é arquiteto na L+W Arquitetos e salienta que todos os projetos de construção precisam da chancela de profissionais da área, “só quem entende do processo construtivo é capaz de combinar uma forma atraente com a melhor maneira de construir. A beleza na arquitetura vem de dentro, ela surge do conhecimento técnico do arquiteto em equilíbrio com as proporções ideais que geram a beleza do aspecto final e assim permitem que ela esteja sempre atualizada, valorizando muito o imóvel com o passar dos anos”, afirma o arquiteto

Confira alguns benefícios por optar por uma construção sustentável, segundo especialistas:

Redução de impacto ambiental: Ao projetar as obras, os arquitetos e empresas de construções já podem utilizar medidas que agridam menos o meio ambiente, priorizando assim a sua conservação. A análise de terreno para fazer o uso de acordo com a luminosidade própria do ambiente e a utilização de materiais ecológicos, são duas das medidas primordiais para que uma obra se torne sustentável antes mesmo de começar. Um projeto que tem soluções que fornecem todas as necessidades das pessoas evita o desperdício de material, refazendo partes que já haviam sido feitas na obra. “Sempre conversamos muito com os clientes para buscar as melhores soluções para que a execução seja mais rápida e com menos desperdício de material”, comenta Lorena.

Ambiente mais saudável: Além de contribuir positivamente com o meio ambiente, as construções sustentáveis também melhoram a qualidade de vida dos moradores.  Levando em conta que neste modelo de construção existe uma preocupação maior com a ventilação natural do ambiente, as pessoas consequentemente evitarão o uso sistemas mecânicos de ventilação como o ar condicionado por exemplo, que é composto por gases que são prejudiciais para a saúde e sistemas respiratórios. Esse modelo é chamado de construção passiva, aquela que usa os elementos da natureza, como ventos e luz solar a favor do conforto térmico da obra.

Economia de energia e racionamento de água: controlar o consumo de água é essencial em uma obra sustentável. Por isso, na construção destes modelos, a dica é utilizar torneiras econômicas, temporizadores de chuveiro, e substituição de ares condicionados por ventiladores.

Valorização do imóvel: os brasileiros estão ficando mais atentos as questões sustentáveis, pelo fato de colaborar com o meio ambiente e ainda economizar nas despesas de casa. Os imóveis verdes estão ganhando muita visibilidade no mercado, e com isso, sua valorização tende a aumentar cada vez mais.

Fonte: Da Redação/Assessoria