O estilo urban jungle vem conquistando cada vez mais adeptos, principalmente quem mora em cidade grande, que sente falta do contato com o verde. Trazer a natureza para dentro de casa traz mais beleza e frescor aos espaços, além de ajudar na saúde e na qualidade de vida.

Uma das formas de valorizar essa tendência sem esperar a chegada da primavera, a estação mais florida do ano, é investir em um jardim de inverno, com cactos, suculentas e flores que não perdem a beleza na estação. Orquídeas, amor-perfeito, antúrios, begônias, gardênias e ciclames são bem-vindas nessa época. Mas nem toda casa ou apartamento tem um espaço reservado para um jardim de inverno. Neste caso, vale improvisar e escolher um cantinho ocioso como embaixo da escada, por exemplo.

Crédito da imagem – Foto: Márcio Souza / Projeto: Ana Lucia Salama e Gerson Dutra de Sá (arquitetos)

Um jardim deve prever alguns fatores importantes para garantir sua longevidade e segurança. Mais do que o design do espaço, o projeto deve contar com materiais adequados e escoamento correto da água para evitar vazamentos, fissuras e infiltrações. Para isso, é fundamental investir na impermeabilização do espaço. Jorge Marcondes, coordenador técnico da DRYKO Impermeabilizantes, alerta para essa necessidade. “A água utilizada para regar as plantas acaba, inevitavelmente, interagindo com as estruturas, e a impermeabilização possibilita que essa interação ocorra sem danificar a construção”, esclarece o profissional.

Para o especialista, o jardim precisa prever, além de um paisagista, um profissional especializado em impermeabilização. “Há diversas técnicas de impermeabilização que podem ser executadas em um jardim, mas as etapas variam muito de acordo com o tipo do projeto”, explica Jorge. “No jardim horizontal, por exemplo, a regularização do substrato com argamassa é feita com cimento e areia, com traço 1×4 e caimento de 0,5% em sentido aos condutores de água. Chamamos de traço a mistura ideal para dar resistência ao material. Neste caso, a proporção adequada é cimento (1) x areia (4). “Ter o traço correto e seguir à risca suas proporções é imprescindível para garantir a qualidade e a segurança da obra”, esclarece Jorge.

“Já no jardim vertical, a regularização do substrato é feita sem caimento, e o teste para identificar defeitos na impermeabilização é eletrostático, ou seja, sem utilização de água. O teste no jardim horizontal, por sua vez, é realizado pelo processo de estanqueidade com água, por 72 horas no mínimo – a fim de verificar a vedação da área”, conclui o coordenador técnico da DRYKO Impermeabilizantes.

Fonte: Da Redação/Assessoria