A tecnologia alemã será comercializada no país pela Tek Energy. Semelhante à pele de vidro, o painel solar de filme fino pode ser utilizado na fachada de edifícios como solução que alia design com sustentabilidade.

O revestimento solar aplicado na fachada do empreendimento da cidade de Beirute, no Líbano, a 135 metros de altura fornece 20% da demanda de consumo total de energia do edifício

O revestimento solar aplicado na fachada do empreendimento da cidade de Beirute, no Líbano, a 135 metros de altura fornece 20% da demanda de consumo total de energia do edifício

Ampliar as possibilidades de aplicação da energia solar em projetos arquitetônicos e utilizar painéis solares como solução que alia design à sustentabilidade gerando economia a médio e longo prazos. Essas são algumas das vantagens do painel solar de filme fino Calyxo,  semelhante à pele de vidro, e conhecido como revestimento funcional que pode ser aplicado na fachada de empreendimentos. A tecnologia alemã, que já é consolidada na Europa, será comercializada no país através da Tek Energy, representante exclusiva da marca no Brasil e especializada na venda, distribuição e instalação de painéis fotovoltaicos.

Os módulos Calyxo são feitos de telureto de cádmio (CdTe), um substrato que, se comparado ao silício, é na média mais eficiente na produção de energia renovável em climas com muita incidência de nuvens ou altas temperaturas. Possui classificação A do Selo Procel de desempenho e eficiência energética, 25 anos de garantia de eficiência e é certificado pelo INMETRO. Custa aproximadamente R$ 850,00 o metro quadrado, incluindo todos os adicionais como cabos e inversores, e pode ser financiado em até 60 vezes com baixa burocracia. Não inclui os custos de instalação.

“Estamos trazendo uma alternativa de geração de energia solar para a construção civil que pode ser facilmente adaptada ao projeto arquitetônico. No que diz respeito à geração de energia, o painel possui melhor performance com a luz refletida, ideal para os dias nublados. Também é indicado para ambientes urbanos onde há um alto consumo de energia e pouca superfície para a instalação de painéis porque pode ser instalado na fachada de edifícios. Além disso, como a película fotovoltaica fica entre duas lâminas de vidro, sem nenhuma borda, não sofre interferência de maritimidade e salinidade. Por isso, sem dúvida a tecnologia alemã é indicada para as diferentes regiões do Brasil e poderá fomentar a geração de energia solar no país”, comenta o diretor comercial da Tek Energy, Douglas Salgado.

Em Santa Catarina, já está em negociação a aquisição de painéis solares para a instalação em um edifício comercial e em uma indústria têxtil na cidade de Itajaí e em uma indústria de ferragem em Blumenau.

Custo positivo ao projeto arquitetônico

O painel de energia solar de filme fino Calyxo pode ser uma excelente solução como elemento de destaque por sua estética simples e lisa com geração de energia. Por essa aparência elegante e atual, a tecnologia alemã consegue substituir outros materiais utilizados como revestimento, característica que garante um preço altamente competitivo.

“O revestimento funcional consegue substituir outros materiais utilizados como elementos arquitetônicos como é o caso do metal, das pedras, do porcelanato, do vidro e outros. Com essa característica traz um impacto positivo em termos de custo ao projeto arquitetônico. Além disso, o sistema fotovoltaico também contribui para o valor de revenda do imóvel. Estima-se entre 8 a 20% de valorização dependendo do consumo da edificação. Aliás, por ser um sistema de longa duração, acima de 25 anos, pode reduzir custos até mesmo na fase de construção do empreendimento. Por ser um sistema modular, pode começar no canteiro de obra e depois ser aplicado em seu lugar definitivo projetado pelo arquiteto”, enfatiza a arquiteta especialista em sustentabilidade Liciany Ribeiro.

Solução estética

A integração do sistema de energia solar com a arquitetura de uma residência pode gerar soluções criativas como a aplicação de painéis como brises, um elemento que controla a iluminação e ventilação das fachadas, revestimentos, fechamentos de vidro, coberturas, pergolados, carport, entre outros.

“A sustentabilidade pode ser aplicada em conjunto com a solução estética. O arquiteto é criativo, e quando domina os materiais e dimensões, não há limites para aplicações nos projetos. No caso do revestimento funcional, como ele pode ser instalado de forma inclinada, isso possibilita paginações infinitas, ampliando de forma incalculável o rendimento da tecnologia. Em um prédio comercial que não tem área suficiente de telhado para gerar a energia de todos os conjuntos comerciais, sua fachada pode ter milhares de metros quadrados disponíveis. O ideal, neste caso, seria a instalação em áreas especificas, sem a necessidade de visualização externa, como entre o peitoril de janelas”, complementa a arquiteta.

Sobre a Tek Energy

A Tek Energy é uma joint venture entre a Tecc4 (Energia e Telecomunicações) e a Tek Trade (trading) voltada para o suporte à integração de sistemas solares fotovoltaicos. Atua em parceria com escritórios de arquitetura e engenharia para oferecer soluções customizadas em energia solar para residências, condomínios, empresas e indústrias. É representante das marcas mais conceituadas no mercado internacional como o painel solar de tecnologia alemã Calyxo.

Foco no cliente, atualização tecnológica, customização de soluções e racionalização dos custos são os pilares do trabalho desenvolvido pela Tek Energy em Santa Catarina, e nos canais de vendas nos estados do Paraná e do Rio Grande do Sul.

Mais informações: www.tekenergy.ind.br

Fonte: Tek Energy/Assessoria