Com as funções de dar acabamento ao piso, além de proteger a base da parede contra impactos e sujeiras, os rodapés ganham seu espaço na decoração e também são utilizados como adornos. Segundo a arquiteta Karina Korn, hoje o mercado oferece diferentes opções de materiais, tamanhos e cores para os rodapés, proporcionando a criação de diferentes propostas para os ambientes. “Se antes utilizávamos apenas rodapés do mesmo material do piso, temos oportunidade de criar composições estilosas e muito singulares para cada ambiente”, conta Karina.

A escolha certa

Segundo Karina, os modelos mais comuns de rodapés são feitos de MDF, madeira, porcelanato, cerâmica e materiais sintéticos. Para a escolha, é importante lembrar que em áreas molhadas devemos nos atentar aos rodapés de mármore, porcelanato, cerâmica ou outro material que atenda este tipo de espaço. No restante da casa, podemos usar qualquer modelo e material. “Vale ressaltar que banheiros e cozinhas só precisam de rodapés quando a parede não é revestida até o piso. Caso contrário, sua colocação é desnecessária”, alerta Karina.

Outro modelo que vem ganhando destaque é o rodapé sintético, como as opções de PVC e EPS, produzidos a partir de sobras de plástico, e trazem como benefícios o fato de serem resistentes à umidade e até mesmo ao ataque de cupins. Para escolher, é preciso avaliar as características e o estilo de projeto que deseja para o ambiente. “Para um ambiente mais uniforme, busco adotar um material semelhante ao piso. Mas se o desejo for apostar no contraste em piso e rodapé, o caminho é avaliar quais materiais se dão bem em conjunto”, explica Karina.

Ela também afirma que não é aconselhável instalar um rodapé de porcelanato com piso de madeira, ou vice-versa, já que os materiais precisam de cuidados diferentes, principalmente, em relação à limpeza, o que pode interferir na sua qualidade.

Cores e sensações

Os rodapés também são ótimos aliados para quem deseja expressar as sensações de um pé-direito mais alto ou mais baixo. Com variações entre 8 até 40 cm, a decisão deve levar em conta o estilo pretendido para o projeto. “Para promover amplitude, sugiro apostar em tamanhos menores e da mesma cor da parede”, indica Karina. Se a proposta for diminuir visualmente o pé-direito alto, o caminho é eleger versões maiores e cores diferentes, que também ajudam a conferir destaque e modernidade ao ambiente.

Além disso, Karina Korn afirma que peças mais altas agregam ares contemporâneos ao ambiente. Em contrapartida, rodapés de cores brancas deixam o espaço mais elegante, caminhando por um estilo clássico. “É um detalhe que, no final, faz muita diferença no projeto”, explica.

Vale ressaltar também que os modelos de MDF e madeira podem ser pintados, o que garante um visual único para os ambientes. “Na escolha da tinta, dê preferência às opções sintéticas, acrílicas e à base de poliestireno. Esmaltes e vernizes à base de água devem ser evitados”, recomenda a arquiteta.

Cuidados

O primeiro cuidado que se deve ter com os rodapés está relacionado ao momento da instalação. Qualquer erro no ângulo pode interferir em todo o resultado do ambiente, por isso, é importante realizar a contratação de uma mão de obra especializada. Por fim, Karina afirma que a limpeza é outro fator que deve ser considerado para manter os rodapés sempre bonitos e prolongar sua duração. “É imprescindível limpar com os produtos corretos. Para o porcelanato, por exemplo, basta um pano úmido e sabão neutro. Já a madeira, requer um pouco mais de cuidado, por isso, o ideal é usar apenas um pano seco”.

Karina Korn Arquitetura

Tel. (11) 98848-6858 / (11) 98849-9669
karinakorn@karinakorn.com.br
www.karinakorn.com.br

Fonte: Da Redação/Assessoria/Fotos: Eduardo Pozella