Com objetivo de informar a todos os profissionais de imóveis sobre a doença COVID-19, bem como as medidas preventivas em casa e no trabalho que podem ajudar a combater o seu causador, o Sistema Cofeci-Creci elaborou a Cartilha “Mercado Imobiliário no Combate ao Coronavírus”.

De maneira didática apresenta informações sobre a Covid-19, como quais são os sintomas, como acontece a transmissão, como se proteger e evitar o contágio e medidas preventivas no ambiente de trabalho. “Além destes dados, incluímos também questões profissionais, mais específicas sobre o mercado e que podem contribuir para que mesmo em casa os Corretores de Imóveis continuem trabalhando”, explica João Teodoro, presidente do Sistema Cofeci-Creci.

Mas e se for necessário o contato pessoal com o Cliente? A Cartilha orienta que para o atendimento presencial, o Corretor de Imóveis deve evitar conversar em locais fechados e preferir locais abertos e ventilados “É importante não ter contato físico e manter distância de 2 metros. Hoje, isso é sinal de pleno respeito entre as pessoas”.

Há um destaque maior para as dicas sobre o trabalho virtual, orientando a busca por atualização profissional, sobretudo em relação aos aplicativos e novas tecnologias. Mas, e a questão jurídica, como fica? Segundo João Teodoro e a Cartilha, a Legislação estabelece que contratos digitais têm plena validade jurídica, desde que tenham a aptidão para cumprir as funções de qualquer contrato escrito.

Você pode conferir todas as informações sobre a Cartilha “Mercado Imobiliário no Combate ao Coronavírus”. Clique aqui!

Sobre o Sistema Cofeci-Creci: Composto por um Conselho Federal e 25 Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis em todo o Brasil que têm a função de normatizar e fiscalizar uma profissão de grande relevância para o desenvolvimento da nação. O Sistema funciona sob a égide da lei 6.530, de 12 de maio de 1978 e engloba cerca de 380 mil Corretores de Imóveis e 46 mil empresas de intermediação de negócios imobiliários. Outras informações:http://www.cofeci.gov.br

Fonte: Da Redação/Assessoria/Cofeci-Creci