Em tempos de isolamento social e quarentena, administrar uma empresa em qualquer ramo é um dos desafios mais difíceis que muitos empresários estão enfrentando. Como não seria diferente, os escritórios de arquitetura também entraram no esquema de home office. As reuniões presenciais entre os clientes e toda a equipe para que o projeto seja desenvolvido, agora está acontecendo online, pois o trabalho não pode parar.

A Bohrer Arquitetura, escritório de arquitetura localizado em Londrina, no Paraná, e que está há mais de 30 anos neste ramo, também precisou se adaptar a esta mudança de local de trabalho e também de atendimento aos clientes. “Esse procedimento foi leve e muito menos complicado do que imaginávamos. Trabalhamos com certificação de qualidade, e os processos são muito bem organizados, dessa maneira, conseguimos saber exatamente onde o funcionário desenvolveu em suas atividades”, explica Thaisa Bohrer, CEO e arquiteta da empresa.

Muito antes de vivenciarmos todos esse momento, o home office estava distante da realidade de algumas empresas, mas para os arquitetos da Bohrer, foi uma mudança natural e com algumas adaptações. As empresas que já haviam investido em tecnologias para o trabalho remoto saíram na frente. “Foi uma adaptação unanime, onde todo mundo teve que organizar a casa para poder trabalhar durante esse período. Outro ponto muito importante foi que descobrimos que a tecnologia está totalmente a nosso favor e para nos ajudar”, observa Thaisa Bohrer.

Para dar prosseguimento aos projetos dos clientes do escritório, a Bohrer Arquitetura, realizada reuniões online. “Todos os prazos de entrega dos nossos projetos estão mantidos, tanto que, estamos focados e trabalhando full time”, diz Thaisa Bohrer. E as reuniões com as equipes que desenvolvem os projetos, passaram a ser diárias, via internet e também optaram por utilizar um aplicativo onde conseguem organizar uma planilha com as atividades desenvolvidas no dia. “Essa foi uma maneira que desenvolvemos para mapear as tarefas, os ponto de atenção e o que precisa de uma atenção especial no dia seguinte”, conta arquiteta.

Ainda é muito cedo para dizer como serão as próximas etapas, pois o cenário muda constantemente. Segundo a arquiteta, os desafios serão grandes daqui a frente. “O consumidor começou a ter uma nova postura, mais do que nunca, as pessoas estão em busca de novidades, querem ter na sua casa coisas que trazem conforto. Neste momento triste, que estamos vivendo, eu acho que precisamos tirar forças, para sairmos fortalecidos. Levando com bom humor, tudo isso que está acontecendo. Tem momentos que não tem o que fazer, temos que refletir e pensar que tudo vai ficar bem”, conclui Thaisa.

Fonte: Da Redação/Assessoria