No começo de 2020 o setor de construção civil dava bons sinais de continuar crescendo, dados os diversos lançamentos previstos no mercado imobiliário. Porém, com o surgimento da pandemia no Brasil e no mundo, todos os setores da economia foram afetados, alguns em maior e outros em menor escala. Agora, passados seis meses do início da pandemia, o setor mostra sinais claros de retomada e aquecimento.

Entre as oportunidades do momento – juros baixos e oportunidades de crédito – para quem busca investir na área de imóveis, a construção industrializada ganha cada vez mais espaço, por trazer benefícios como padronização, redução de desperdícios e agilidade à obra.

Na construção industrializada, além do uso otimizado dos insumos e de um planejamento logístico mais preciso, há uma melhoria de processos para redução de desperdícios. Isso porque o conceito industrial engloba de maneira muito eficaz o controle do tratamento de resíduos da obra. Este fator é essencial, inclusive, para o cumprimento da legislação, contribuindo para uma estratégia voltada para a sustentabilidade.

Em projetos ligados ao Governo Federal, como o Minha Casa Minha Vida, por exemplo, a construtora necessita cumprir determinados requisitos de qualidade, como questões de sustentabilidade, desempenho dos sistemas construtivos e o cumprimento de prazos previstos.

Com a industrialização de etapas da obra, boa parte dos insumos já chegam pré-produzidos ao local de aplicação na obra, facilitando e agilizando a aplicação, montagem ou instalação nesse tipo de construção.

Tecnologia no canteiro de obras

A construção industrializada está diretamente ligada aos conceitos de automação e tecnologia. Adotar processos industrializados requer também controle de cada etapa. E um exemplo importante é o crescimento cada vez mais comum do uso de soluções com aplicativos em dispositivos móveis, que permitem acompanhar as etapas construtivas até a finalização no canteiro.

Neste contexto podemos citar como um bom exemplo o Mobuss Construção, que apoia em diversas etapas da obra, permitindo o controle de cada fase do processo, de acordo com o padrão estabelecido pela construtora. Assim, um histórico completo é construído durante a rotina do projeto, antecipando inconformidades no ciclo de produção, que é uma excelente prática para obtenção de uma construção com qualidade.

Com o apoio da tecnologia no canteiro de obras, o trabalho também se torna mais colaborativo, mantendo a rastreabilidade em todas as fases da construção. Outro benefício é que com a integração de todas as informações, o aprendizado sobre os erros é perfeitamente possível, já que, em cada etapa, o construtor tem em mãos dados confiáveis para analisar quais problemas não devem ser repetidos. Isso diminui o retrabalho significativamente, contribuindo para uma performance superior.

*Sílvio José Etges é Gerente de Produtos da Teclógica, empresa especializada na gestão de TI e Negócios que oferece ao mercado serviços de desenvolvimento e gerenciamento de aplicações, gestão da manufatura e produtos para os mais diferentes segmentos do mercado, como manufatura, construção civil, comunicação corporativa e gestão de contratos. Com sede em Blumenau (SC), a empresa conta com atuação em todo território nacional e na América Latina.

Por Sílvio Etges