Conhecidos como pragas urbanas, os indesejáveis ratos, baratas, formiga entre outras espécies que costumam estar presentes em áreas urbanas tem encontrado no isolamento social, devido à reclusão causada pelo Covid-19, um motivo para buscar nos ambientes residenciais, com maior incidência de resíduos de lixo, o ambiente perfeito para buscar seus alimentos. De acordo com um levantamento publicado pela National Geographic: à medida que os humanos alteram os seus comportamentos ficando mais em suas casas, a ausência de pessoas nas ruas pode causar efeitos colaterais no ecossistema urbano e transforma o comportamento noturno de algumas pragas, em diurno, como vem acontecendo com os ratos.

Segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) estima que as medidas de isolamento social devem causar aumento de 15% a 25% na produção de resíduos sólidos (lixo orgânico e reciclável) nas residências. ou seja, estamos produzindo mais lixo em casa, o que segundo a Dra. Maria Fernanda Zarzuela, Coordenadora de Field Solutions na Bayer, pode contribuir na alteração dos hábitos no ecossistema das pragas urbanas.

O fator tranquilidade e falta de alimento nos meios urbanos se torna um motivador para mudar os hábitos noturnos (ratos e outros), que deixam de buscar comida em restaurantes e centros urbanos e passam invadir as áreas residenciais. “Existe uma tendência comportamental dos seres, e a mais evidente é a dos ratos que saem dos esconderijos à luz do dia em busca de alimentos e não mais à noite como antes”, diz Maria Fernanda.

Com a nova rotina imposta pela pandemia de coronavírus, cozinhar se transformou em uma atividade mais frequente gerando um número maior de lixo e resíduos nas residências, e isso pode ser um dos chamarizes para os atrair mais roedores e outras pragas urbanas. “É importante seguir algumas dicas de manutenção de limpeza doméstica para manter esses seres indesejáveis longe de nossas casas, até mesmo por eles serem transmissores de doenças, que vão desde uma simples alergia, até uma infecção por bactérias. Cada uma tem o seu nível de periculosidade. As aranhas e escorpiões, por exemplo, são perigosos por sua picada e veneno. Já os mosquitos podem transmitir dengue, Zika vírus, febre amarela, entre outras doenças”, reforça a especialista.

 

Veja uma lista de dicas que separamos:

• Mantenha os alimentos sempre em recipientes fechados para não atrair formigas e baratas;
• Coloque o resto do lixo em locais adequados, como em sacos bem fechados, evitando atrair ratos e outros insetos;
• Mantenha as janelas fechadas, quando necessário, para evitar a entrada de pernilongos, baratas e outras pragas;
• Utilize materiais específicos para vedar os espaços que ficam abaixo das portas e frestas;
• Cuidado com os buracos nas paredes para evitar que se alojem traças;
• Não deixe água parada em potes e vaso para evitar o surgimento larvas de mosquitos e moscas;
• Não deixe a louça sem lavar na pia, isso pode atrair insetos;
• Limpe as superfícies com pano úmido e detergente ou desinfetante.

Os profissionais podem ser localizados de acordo com a região do País, basta acessar site: www.bayer.com.br

Bayer

A Bayer é uma empresa global focada em Ciências da Vida nas áreas de saúde e nutrição. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para beneficiar pessoas apoiando-as para superar os maiores desafios apresentados pelo crescimento e envelhecimento populacional. Além disso, a companhia visa criar valor por meio da inovação e crescimento. A Bayer é comprometida com os princípios do desenvolvimento sustentável e a marca Bayer representa confiança, credibilidade e qualidade ao redor do mundo. No ano fiscal de 2018, com cerca de 117 mil colaboradores, obteve vendas de € 39,6 bilhões. Os investimentos totalizaram € 2,6 bilhões e as despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 5,2 bilhões. Para mais informações, acesse http://www.bayer.com.br.

Fonte: Da Redação/Assessoria/Bayer