Projetar um quarto infantil pode ser aventura daquelas! Pensar nos móveis, texturas e definir a paleta de cores que irá compor esse ambiente é uma tarefa muito divertida para as crianças, os papais e sem dúvidas, para o profissional, que pode dar asas à imaginação, pondo em prática toda a sua criatividade.

Cada dormitório ressalta o período de vida das crianças e proporciona mais que um ambiente para descansar: é essencial que a atmosfera projetada acompanhe o crescimento e os momentos da infância | Projetos: Figa Arquitetura | Fotos: Thiago Travesso 

A arquiteta Roberta Iervolino Giglio, da Figa Arquitetura, dá dicas de como criar um quarto de crianças divertido e muito estiloso. Inspirações para o Dia das Crianças, que está por chegar!
Normalmente os projetos rementem ao período de vida dos clientes, marcando assim o que será usado para compor esse espaço. Com os pequenos não é diferente: ao projetar o dormitório, é fundamental conhecer a faixa etária de quem habitará o cômodo. Em função da idade, o projeto definirá os elementos adicionados.

“Em um quarto de bebê, por exemplo, berço, poltrona de amamentação e cômoda são peças primordiais. Para crianças acima de um ano, já podemos trazer a cama, uma estante para brinquedos e outras referências lúdicas”, explica Roberta.

Neste quarto projetado por Roberta, as cores em tons pastel contrastam com o piso de tacos. O tapete com estampas geométricas contrapõe a delicadeza dos papéis de parede florais, que podem ser trocados facilmente quando a pequena princesa enjoar da estampa. O espaço pode acomodar desde meninas mais novas até pré-adolescentes| Fotos: Thiago Travesso

A liberdade para a criatividade das crianças é um dos maiores responsáveis por diferir um quarto adulto de um infantil. É importante que elas tenham liberdade e autonomia para manusear todos os elementos que o compõem, ponto esse que refletirá sua personalidade e dará um tom muito mais pessoal ao espaço. Diferentemente de quartos de adultos, esses ambientes devem ter um espaço dedicado às brincadeiras; as alturas para acesso aos objetos e outros usos devem ser pensadas para ajudar os pequenos e, claro, a decoração deve ser mais divertida e colorida.
“Por conta da sua altura mais rente ao chão, a cama montessoriana é ótima para as crianças menores e a bicama pode ser boa para quartos divididos ou aquele dia de receber o amiguinho que vai passar a noite na sua casa ou até a babá”, sugere a arquiteta.

No primeiro ambiente, a Figa Arquitetura brinca com a marcenaria utilizando uma bicama produzida com o mesmo tipo de madeira utilizado nas paredes, que remetem a um cercado de palitos de sorvetes. Outra opção para os quartos divididos é o beliche, que ganhou um ar industrial com esse corrimão em ferro. | Fotos: Thiago Travesso 

Normalmente, o estilo do quarto infantil depende muito do gosto dos pais e, claro, da criança. Hoje em dia, o que está em alta para este tipo de ambiente é o estilo mais moderno e colorido possível. A arquiteta Roberta destaca a preferência por evitar projetos temáticos, pois dessa forma a criança pode aproveitar o cômodo por muito mais tempo. “Os elementos geométricos costumam fazer muito sucesso com eles”, relaciona.

Na composição, não podem faltar os móveis para guardar e expor os brinquedos, além de baús, porta-livros e tapetes de borracha, que deixam o chão mais confortável e seguro para os momentos de brincar. Para as crianças a partir de 5 anos, um cantinho dedicado aos estudos é indispensável. Escrivaninha e cadeira na altura adequada, bem como acessórios como porta-lápis e os livros favoritos deixarão o estudante mirim mais animado para fazer o dever de casa. “Se o quarto for mais amplo, uma boa dica é fazer uma separação de espaços para que os brinquedos não tirem a atenção dos estudos”, sugere Roberta.

Com inspiração no Lego, a marcenaria ressalta os encaixes das peças no móvel com armários e gavetas, além dos nichos. No segundo ambiente, a estante de madeira abriga os brinquedos, podendo abranger livros e materiais escolares, seguindo o crescimento da menina. | Fotos: Fernanda Gheton (primeira) Thiago Travesso (segunda)

Por fim, um item extremamente importante é a segurança. Grades de cama para os menores, telas nas janelas, evitar cantos pontiagudos e fixar estantes nas paredes são alguns dos pontos que devem ser seguidos à risca. “Esse cuidado evita acidentes graves ocasionados pela curiosidade das crianças, que podem escalar o móvel. Nos cercamos de uma lista completa que faz a diferença na paz e tranquilidade de toda a família”, finaliza Roberta.

Sobre a FIGA Arquitetura

Sob o comando da arquiteta Roberta Iervolino Giglio, com mais de 10 anos de experiência no segmento, o escritório recebeu o nome de Figa Arquitetura, palavra que representa um amuleto, um talismã de sorte e proteção, assim como acreditamos que o ambiente deve ser! Para assinar o portfólio eclético com dezenas de projetos residenciais e comerciais, Roberta conta com uma equipe multidisciplinar, responsável pelos vários serviços oferecidos, da escolha do terreno ou da avaliação do imóvel, passando pelo desenvolvimento minucioso do projeto, acompanhamento da obra até chegar na decoração.

Materiais naturais, recursos inusitados e muita brasilidade são alguns dos ingredientes encontrados nos trabalhos dentro e fora de São Paulo. Roberta e sua equipe ainda trazem na bagagem experiência com alta marcenaria, feita sob medida e cheia de refinamento, resultando em ambientes completamente autorais e únicos. Tamanho equilíbrio resulta numa arquitetura contemporânea e atemporal, que está sempre atual.

(11) 2371-8135

www.figaarquitetura.com.br

@figaarquitetura

Fonte: Da Redação/Assessoria Figa Arquitetura