Com a chegada do outono, já é possível notar a queda sutil na temperatura. E com a disponibilidade de diversos tipos de roupas de cama no mercado, como as mantas e os cobertores, podem surgir dúvidas na hora de escolher o produto ideal para manter-se mais aquecido ao longo da estação.

Pensando nisso, a Camesa , marca que há 40 anos é especialista em desenvolver a mais completa linha de cama, mesa, banho e decor, esclarece a diferença entre as duas peças, facilitando o processo de compra segundo as necessidades de cada consumidor.

“Durante as estações mais frias como o outono e inverno, as mantas e cobertores são ótimos aliados na proteção do corpo às baixas temperaturas. Além de darem um ar aconchegante, ainda trazem comodidade para os ambientes”, declara Ruth Shammah, consultora da Camesa.

Mantas

 

Por serem mais finas em comparação aos cobertores, costumam ser mais versáteis e podem ser utilizadas em qualquer época do ano, sendo úteis tanto para aquecer o corpo, quanto para a decoração de sofás e poltronas. Confeccionadas em diversos tipos de materiais, os mais comuns são: malha, suedine, lã, tricô, soft e plush, entre outros.

Para a higienização, é necessário se atentar às informações contidas na etiqueta da peça. Em geral, recomenda-se a lavagem regular com sabão de coco ou líquido, pois removem sujeiras com mais facilidade. Uma opção após a limpeza é colocar a manta em um balde com água e vinagre, para prolongar a maciez do produto.

Não é indicado torcer já que isso pode levar a quebra das fibras do tecido. O ideal é realizar uma compressão com as mãos, deixando-a secar na sombra.

Para guardá-las, o ideal é usar sacos de TNT ou plásticos especiais, deixando-as em um local arejado, possibilitando a “respiração” do tecido.

Cobertores

Já os cobertores apresentam uma grande variedade. Podem ser grossos, finos, felpudos ou antialérgicos, sendo mais recomendados para os dias mais frios. Geralmente são compostos por poliéster, algodão ou acrílico, ou seja, materiais mais pesados, que atuam como um isolante térmico, assegurando que o corpo se mantenha aquecido por mais tempo.

Por serem mais pesados, a higienização pode ser um pouco mais trabalhosa. Essas peças acumulam ácaros com muita facilidade, sendo necessária uma limpeza ainda mais precisa. Caso a opção seja lavá-los na máquina, o importante é se lembrar de não usar alvejante, que pode danificar o tecido. Outro ponto é utilizar o modo de roupas delicadas, evitando o surgimento de bolinhas no tecido.

Assim como as mantas, não é recomendado torcê-los, sendo preferencial remover o excesso de água comprimindo a peça com as mãos e deixando-os secar à sombra. O item deve ser guardado em sacos de TNT ou plásticos especializados em um local arejado.

Camesa

Para saber mais, acesse: http://www.camesa.com.br.

Fonte: Da Redação/Assessoria/Camesa