A Rôgga, uma das empresas mais inovadoras do Sul do país, anuncia planos de crescimento para 2020. A estratégia inclui o lançamento de nove empreendimentos no Norte catarinense, o que representa um total de 1.244 apartamentos e VGV (valor geral de vendas) aproximado de R$ 400 milhões, além de mais de mil empregos diretos e indiretos.

Em 2019, a Rôgga fechou o ano com um VGV líquido de R$ 246,7 milhões, atuando em cidades como Joinville, Jaraguá do Sul, Barra Velha, Balneário Piçarras, Penha e Florianópolis.

De acordo com o presidente da empresa, Vilson Buss, a construtora é uma das principais empregadoras nas regiões onde atua. “Com esses novos projetos e crescimento constante, estamos contribuindo para a geração de empregos e para o desenvolvimento econômico e social das cidades nas quais estamos inseridos”, diz Vilson.

No final do ano passado, a Rôgga lançou em Balneário Piçarras o Summer Home Clube – um projeto de alto padrão considerado sucesso em vendas já na primeira fase. Também no município construiu uma Central de Vendas com gentilezas urbanas e serviços gratuitos à comunidade, uma inovação no Sul do país. Em maio, lançará o Anita Square, em Joinville, onde será erguida a 100ª torre com a assinatura da Rôgga.

O otimismo para 2020, continua o presidente da construtora, está alicerçado no cenário econômico atual, na redução da taxa básica de juros, no controle da inflação e nas projeções da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) que indicam crescimento de 3% para o setor neste ano.

“A demanda habitacional brasileira é crescente. Até 2025, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas, o Brasil precisará de 14 milhões de novas moradias, o que representa um potencial imenso para o setor e uma oportunidade para que a indústria da construção civil volte a crescer de forma mais vigorosa”, diz o empresário.

Desde que foi fundada, em 2006, a Rôgga já vendeu mais de 7 mil apartamentos e entregou mais de 600 mil m2 de área construída nas cidades de Joinville, Jaraguá do Sul, Barra Velha, Balneário Piçarras, Penha e Florianópolis.

Fonte: Da Redação/Assessoria/Rôgga