Elegante e versátil. Esses são alguns dos adjetivos que o aparador recebe por meio de sua presença na decoração. Reconhecido pelo suporte que promove na sala de jantar, o aparador também pode ser eleito para complementar, de forma estratégica, a ambientação de um hall de entrada e de sala de estar.

Combinação de madeira e vidro para a execução do aparador na sala de jantar | Foto: Gui Morelli

No jantar, quando exerce a função de complemento da mesa em momentos mais elaborados, surge a dúvida: qual seria então a diferença entre o aparador e do buffet? “Em linhas gerais, o aparador é um móvel mais estreito, enquanto o buffet, que também faz as vezes de apoio na sala de jantar, é mais profundo, tem portas e foi pensado para armazenar louças e objetos que compõem o servir”, explica Ieda Korman, arquiteta que ao lado de Carina Korman respondem pelo escritório Korman Arquitetos.

Fixado ou com pés, produzido em diversos materiais como madeira, vidro, espelhado ou em estilos que vão desde o clássico até versões mais contemporâneas: o aparador confere charme e pode ser designado para compor a decoração com obras de arte, objetos decorativos ou até mesmo como o bar ou o cantinho do café em casa.

Inspirada nos projetos que realizam, Ieda Korman demonstra as funções do aparador e demonstra como definiu sua presença nos ambientes. Acompanhe:

1- Sala de jantar

Em madeira o aparador acompanha o estilo de decoração da sala de jantar do morador | Foto: Gui Morelli

Com o predomínio da madeira na sala de jantar, o material foi escolhido para a peça posicionada em todo perímetro da parede de fundo do ambiente. Suspenso e com espaço para guardar as louças, tornou-se um móvel indispensável o ambiente. “A porta vermelha separa a sala de jantar da cozinha. Dessa forma, a base extensa do aparador é fundamental para receber as travessas com o menu preparado aos convidados”, revela Ieda.

No jantar, o aparador suspenso tem como cenário o jardim vertical | Foto: Gui Morelli

Para acompanhar a mesa de jantar com 10 posições, a arquiteta Ieda Korman especificou um aparador como função de suporte para as oportunidades em que a moradora recebe a visita de amigos e familiares. Fixado nas laterais das paredes, a peça em madeira foi envolvida em uma ‘caixa’ de vidro e, quando não cumpre sua atribuição principal, é adornada por objetos decorativos.

Foto: Gui Morelli

Em uma expressão mais minimalista, o aparador fixado nos pilares e revestido em laca na cor preto acompanha o estilo da mesa e das cadeiras escolhidas por Ieda para o projeto.

Foto: Gui Morelli

Dupla composição no aparador suspenso projetado pelo escritório de arquitetura: fixado na parede, a parte inferior recebeu o acabamento de laca brilhante na cor marrom e é acompanhado pelo vidro de estrutura robusta, que assegura tranquilidade ao contar com baixelas e travessas quentes.

2 – Na sala de estar

O aparador acompanha os tons claros que constituem o décor da sala| Foto: Gui Morelli

No living integrado, o aparador com pés espelhados e base em laca cumpre duas funções expressivas: além expor os objetos decorativos, ‘esconde’, com requinte, as costas do sofá.

Valorizar peças antigas com a nova função de aparador| Foto: Gui Morelli

Um contraponto ao branco presente na sala de estar: o móvel robusto e com história foi elevado como aparador para preservar as costas do sofá. Com sua estética clássica, comporta itens da residência e é adornado por livros decorativos e cristal de murano.

Aparador para valorizar a arte| Foto: Gui Morelli

Na sala de estar, a peça revestida em laca branca expõe o apreço dos moradores pela arte e a memória afetiva. Complementando a gallery wall, o aparador exibe livros decorativos e obras.

Foto: Gui Morelli

Na área social do apartamento, o aparador com um tom de madeira mais claro se destaca frente ao restante do mobiliário definido no projeto. Além de receber o bar, a peça ganhou um complemento especial: a obra de Tikashi Fukushima.

3 – Entrada do imóvel

Na sofisticada entrada do apartamento, a parede revestida com espelho conta com o aparador com base em laca e o vidro que envolve a toda a superfície e realiza o apoio nos dois lados (Breentwood). A iluminação no forro valoriza a peça, bem como o quadro posicionado em destaque.

Confira algumas dicas para a escolha do aparador perfeito:

O aparador escolhido deve ‘conversar’ com a decoração de todo ambiente;
Menos é mais: os objetos decorativos posicionados no aparador devem apresentar harmonia com o móvel e o projeto;
Exponha peças que registrem a personalidade do morador: um vaso, livros, quadros apoiados, arranjos florais ou até mesmo porta-retratos.

Korman Arquitetos

Rua Groenlândia, 1877, Jardim América, São Paulo
Tel.: (11) 3060-8313
www.kormanarquitetos.com.br

Fonte: Da Redação/Assessoria/Korman Arquitetos