Ao estudar as preferências dos brasileiros na hora de dormir, a startup do sono Zissou, que trouxe para o país um novo modelo de comercialização de colchões com a tecnologia bed in a box, identificou que cada pessoa tem um jeito particular de utilizar seu travesseiro. Diferentemente do colchão, em que há um padrão de conforto e suporte, o uso deste produto varia conforme seu consumidor – que decide a altura, nível de conforto, resposta, entre outros aspectos. Para isso, a empresa idealizou um conceito interativo: com três camadas independentes, o travesseiro Zissou é adaptável a todas as formas de dormir.

“Os estudos de linguagem corporal mostram que a nossa forma de dormir é tão diversa quanto o nosso comportamento. Por exemplo, quem dorme à direita, tende a ser uma pessoa entusiasmada e criativa. Já à esquerda, se demonstra mais sensível. Se a pessoa deita de barriga para baixo, tende a ser mais organizada e assumir as decisões em processos de liderança. Por isso, pensamos em um produto que englobasse a diversidade do sono”, explica Andreas Burmeister, co-fundador da Zissou.

O Travesseiro Zissou é composto por uma capa de algodão com fibra siliconizada e três camadas de viscoelástico de memória responsiva, com formas e alturas diferentes. Dentro da capa é possível colocar até duas camadas, decididas por quem irá utilizar o produto. A camada adicional pode ser apoiada entre as pernas, utilizada como travesseiro extra por usuários que preferem dormir com um produto mais alto na cabeça ou até como travesseiro portátil para viagens de carro e avião.

“É um conforto que cada um define da sua maneira. Assim como o segmento de colchões, o mercado de travesseiros oferece inúmeras fórmulas e composições, mas sem explicar às pessoas as características e benefícios de cada um. Nós pensamos em um produto único e com versatilidade para que as pessoas possam experimentar e perceber as suas preferências ao dormir”, complementa Burmeister.

Concepção do travesseiro envolveu estudos e co-criação

Para a idealização do travesseiro, foram conduzidos diversos worshops focados no comportamento do consumidor. “Por meio deles que confirmamos as teorias de sono: descobrimos que cada pessoa tem uma conexão diferente com o produto que utiliza. Este público sente que seus modos de uso também são únicos, variando desde a quantidade de travesseiros na cama, as percepções de conforto e resposta, posições de preferência, até outros aspectos pessoais”, detalha Ilan Vasserman, co-fundador da Zissou.

A concepção do produto envolveu quatro etapas diferentes. A primeira foi a realização de workshops com diferentes públicos com o objetivo de entender o que compõe o sono perfeito para cada pessoa. Após os resultados, houve a mobilização de engenheiros de produto brasileiros e americanos para o desenvolvimento de protópitos.

Com diferentes composições desenvolvidas, foram realizados novos workshops, dessa vez voltados à experimentação e primeiras percepções, que auxiliaram na definição da composição ideal. Por fim o processo produtivo foi otimizado aplicando tecnologia e controle de qualidade.

“Nós percebemos que analisar um travesseiro não é uma coisa imediata, exige tempo e identificação da pessoa com o produto. Por isso, decidimos oferecer 100 dias de experimentação, assim como fazemos para o Colchão Zissou. Se a pessoa não gostar, retiramos o produto e devolvemos o dinheiro. Nossa prioridade é oferecer uma experiência de sono única e inesquecível “, complementa Amit Eisler, co-fundador da empresa.

Os interessados poderão adquirir o travesseiro Zissou no site da marca ou na Casa Zissou, espaço conceito da marca localizado no bairro dos Jardins, em São Paulo.

 Zissou:

A Zissou é uma marca aspiracional, que tem como objetivo redefinir a relação das pessoas com o sono. Criada por Amit Eisler, Andreas Burmeister e Ilan Vasserman, a empresa adota a estratégia multicanal, com um modelo de vendas da indústria ao consumidor, eliminando intermediários comerciais e logísticos. Inspirada no conceito americano Digitally Native Vertical Brands (Marcas verticais nativas digitalmente), a empresa nasce no ambiente digital utilizando o e-commerce não apenas como um mecanismo de venda, mas como uma forma de relacionamento com o consumidor.

Fonte: da Redação/Assessoria/Zissou