A evolução da tecnologia em iluminação, com a disseminação do LED, tem alterado também o consumo de lâmpadas de vapor metálico e de sódio, muito usadas em indústrias, comércio, iluminação pública e no setor produtivo como um todo.

pracacomledSegundo Ricardo Cricci, diretor comercial da Celena, que é especializada em projetos e soluções de iluminação para eficientização energética, “a demanda pelo LED tem aumentado sobremaneira que as lâmpadas de vapor metálico deverão quase desaparecer do mercado até 2020”. Já a vapor de sódio deverá ter uma sobrevida maior, na avaliação do executivo, porque ainda é muito utilizada em iluminação pública, embora no setor produtivo seu consumo deva diminuir.

Com essa troca será possível economizar até 70% de energia, “o que faz o investimento em redução de consumo ser mais eficaz que investir em geração”, completa o executivo. Além da economia, o LED apresenta outras vantagens sobre as lâmpadas mistas, que devem ser levadas em consideração na hora do retrofit.

Segundo Cricci, existem 11 razões para substituir as lâmpadas de vapor metálico e de sódio pelo LED:

Lâmpada de vapor metálico

Lâmpada de vapor metálico

Sustentabilidade:
Conhecidas como lâmpadas de alta pressão, as lâmpadas metálicas e de sódio funcionam mediante a descarga elétrica em um tubo de vidro contendo gases em seu interior, o que transforma a energia elétrica em luminosa. Estes gases contaminam o solo no descarte. Já o LED não entrou na Lei de Resíduos sólidos, pois não possui metais pesados em sua composição.

Acendimento:
As metálicas e de sódio necessitam de reatores para sua ignição e funcionamento, o que pode levar até 15 minutos para o reacendimento completo, após uma oscilação de energia, por exemplo. Já o LED é resistente a vibrações e não possui problemas de queima ou falha de filamentos, pois usa um chip para ser acionado.

Praça Buenos Aires, em São Paulo, antes da mudança para LED

Praça Buenos Aires, em São Paulo, antes da mudança para LED

Aproveitamento luminoso:
Ao contrário do LED, que usa luz direcional, a lâmpada metálica e de sódio desperdiça luz, isto porque irradia luz em 360º. Com isso ocorre uma invasão de luz em áreas que não precisam ser iluminadas, diminuindo a poluição luminosa.

Noite estrelada:
Como a luz do LED é direcionada para a pavimentação, é menor seu índice de ofuscamento. Graças a isso, é possível, por exemplo, enxergar-se as estrelas à noite. Há países, como os Estados Unidos, que levam esta questão ver as estrelas muito a sério.

Praça Buenos com iluminação de LED fica mais segura e se vê melhor a pista

Praça Buenos com iluminação de LED fica mais segura e se vê melhor a pista

Menos pontos escuros:
Como controla a luz por lente e não por espelho, o LED tem um controle óptico que garante à luz chegar ao lugar certo, fornecendo uma luz mais uniforme e com menos zebramento.

Visão melhorada:
O olho humano à noite percebe melhor os espectros de luz emitidos pela iluminação branca do LED, por isso existe a percepção de maior claridade sob luzes brancas.

Manutenção do fluxo luminoso:
A metálica, depois de 20% de uso perde 30% de luz, porque o químico se volatiza. Já o LED possui componentes que garantem o fluxo luminoso consistente em até 70% da vida útil.

vaporManutenção:
Lâmpadas de alta potência, como a metálica e o sódio, são utilizadas em locais com grandes alturas, o que necessita de um aparato mais complexo para fazer a substituição em caso de queima, com mão de obra e até andaimes. Com uma duração 4 vezes maior que a metálica, o LED diminui consideravelmente a necessidade de manutenção e, consequentemente, o custo envolvido no processo.

Interatividade:
Por ser uma luz eletrônica, o LED permite a inserção de gerenciamento e monitoramento remoto (dimerização, controle de fluxo de luz e de consumo).

Calor:
A metálica e o sódio emitem calor, o que torna o ambiente fechado extremamente desconfortável para os usuários. Imagine o conforto para os usuários de uma fábrica ou quadra esportiva com uma luz que não esquenta.

Lâmpadas de vapor metálico

Lâmpadas de vapor metálico

Economia:
O LED entrega a mesma quantidade de luz, ou até mais, consumindo até 75% menos energia que as lâmpadas de vapor metálico e de sódio, impactando diretamente na saúde financeira. As lâmpadas de LED estão presentes nas revitalizações das metrópoles ao redor do mundo, que em um primeiro momento pode parecer caro, como em São Paulo, que vai investir inicialmente R$ 2 bi, mas a redução de consumo e manutenção compensa no final.

Sobre a Celena

A Celena é uma gestora de tecnologia e produtos voltados a projetos de iluminação que tenham como foco a eficiência energética. Seu compromisso é com a redução do consumo de energia, a facilidade na operação, a redução no custo de manutenção e a preservação do meio ambiente. Seu diferencial consiste em prover serviços de iluminação, como projetos luminotécnicos e gestão de iluminação, para clientes corporativos e governo.
Maiores informações no site www.celenapar.com.br ou no telefone (11) 4871-1888.

Fonte: Celena e Golden