Cortinas ou persianas? Você provavelmente vivenciou essa dúvida no momento de escolher o fechamento para janelas e grandes extensões de vidro no projeto. Os benefícios são inúmeros: além de compor o estilo decorativo proposto para o ambiente, os dois modelos asseguram privacidade ao ambiente, bloqueiam a entrada da luz solar, colabora para o controle da temperatura e protegem pisos e móveis.

Projeto: Cris Paola Foto: Hamilton Penna

Pensando nas diversas indagações sobre o assunto, a arquiteta Cris Paola, à frente do Studio Cris Paola, preparou um guia das principais diferenças entre cortinas e persianas – tipos, materiais, espaços da casa e inspirações para compor nos espaços. Confira:

1 – Cortinas x Persianas:

A persiana plissada garantiu uma atmosfera leve à sala de jantar. Foto: Hamilton Penna

Clássicas, as cortinas combinam muito bem em quase todos os ambientes – seja de tecidos encorpados, para usar como blackout, ou a voil. “O mercado dispõe de uma infinidade de modelos, tipos e materiais, que nos permitem conseguir diferentes resultados no projeto”, afirma Cris. Além da composição estética no décor, a escolha interfere no nível de entrada de luz natural e a privacidade quanto à visão externa para o lado interno.

A persiana plissada garantiu uma atmosfera leve à sala de jantar. Foto: Hamilton Penna

Práticas e compactas, as persianas estão presentes em lares onde a decoração segue um estilo moderno. ” Quando a intenção é ter uma casa funcional e fácil de limpar, as persianas são perfeitas, além de permitir controlar a luminosidade conforme a necessidade do espaço”, comenta Cris Paola.

2 – Diferenças entre cortina e persiana e procedimentos de limpeza:

Uma das principais diferenças é o seu tipo de fabricação: as cortinas são confeccionadas com diversos tecidos, enquanto as persianas são produzidas com materiais como alumínio, madeira e telas.

Todavia nem só de diferenças vivem essas duas peças, que em linhas gerais cumprem de forma semelhante o seu papel. Nesse quesito, vale também considerar seus sistemas específicos para limpeza. Para as persianas, são indicados procedimentos de manutenção específicos para cada tipo, como aspirador de pó ou o uso de sabão neutro e, para situações mais robustas, considerar o trabalho de especialistas. Com relação às cortinas, alguns tecidos permitem que o morador possa lavar em casa e outros demandam mão de obra profissional.

Para controlar a iluminação da varanda gourmet sem pesar na decoração, a persiana rolô screen o modelo escolhido pela arquiteta Cris Paola

3 – Tipos de persianas:

Vertical: A persiana é produzida com chapas dispostas na vertical, uma ao lado da outra. Quando aberta, se acumulam nas laterais. “Mesmo antes de ser aberto, esse modelo pode ser girado e permite a entrada de luz e a visibilidade parcial com um efeito diferenciado”, conta Cris, que sugere a instalação em escritórios e empresas.

Horizontal: Similar à persiana vertical, porém com chapas na horizontal uma sobre a outra. “A vantagem dessa versão é que, se for toda aberta, não ocupa nenhum espaço na lateral”, diz a profissional, que indica o modelo, em madeira, para salas residenciais, enquanto a versão em metal compõe ambientes de escritórios.

Rolô: Produzida com tela solar, o sistema de abertura funciona de baixo para cima, de forma que o material se mantenha enrolado no topo. Versáteis, são especificadas para varandas, cozinhas, quartos e salas.

Com funcionamento semelhante, a rolô dupla é uma persiana mais encorpada, à medida que apresenta dois painéis, e é recomendada para quartos e home theaters – que pode agregar também um rolo blackout.

Plissada: Com uma forma sanfonada, o modelo tem riscos horizontais em toda a sua extensão, pode ser feita no formato quadrado ou retangular, como as outras cortinas, ou em ângulo, para janelas com formas irregulares. A arquiteta costuma escolher o modelo para quartos, bibliotecas, salas e corredores.

Romana: Quando esse modelo está fechado parece apenas um painel simples, com algumas linhas horizontais. Essas são divisões da persiana que, quando se abre vai encaixando uma camada na outra. “É uma alternativa visualmente interessante quando se quer elegância”, afirma Cris. Está presente em quartos e salas.

Painel: A persiana painel movimenta-se para os lados, como se fossem grandes divisórias. É uma ótima opção para janelas largas.

4 – Tipos de cortinas:

Em linhas gerais, as cortinas apresentam o sistema de trilhos ou varão que recebe o tecido por meio ilhós ou argolas.

Com trilho instalado no teto, o modelo é perfeito para situações em que a cortina fica embutida, pois o trilho deve ser escondido.

Por sua praticidade, o varão tem sido o sistema mais utilizado: as cortinas ficam penduradas em uma haste de forma cilíndrica apoiada em suportes fixados na parede.

Studio Cris Paola

www.studiocrispaola.com.br
Tel. (11) 3071-2888, São Paulo

Fonte: Da Redação/Assessoria/Studio Cris Paola